Páginas

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Talvez um testemunho de vida ... Talvez apenas magoas

PAUSA .... este é apenas um registro de "magoas" para ver se quem sabe limpo a alma" DESPAUSA

Por algumas vezes minha grande amiga Martha questionou o "abandono" ao blog e o pq de não registrar todo o turbilhão de sentimentos que venho passando, afinal de contas é um momento da minha vida que não volta mais. Fiquei com dúvidas, relutei, até mesmo pq não gosto de reclamações sem fim, mas talvez fique um buraco nesta história quando algum dia minha pequena for ler estes registros (afinal de contas, tudo isso é para ela, com a intensidade do momento).

Para falar a verdade eu ainda não sei por onde começar, talvez desde o dia que nasci (minha mãe dizia que eu tinha choro de gente forte e por isso nunca me deu muita atenção, esta sempre foi a justificativa dela). Mas se eu for me alongar neste tanto eu não vou chegar no que vem acontecendo hoje, 30 anos depois.

Estou a 10 anos em um emprego, para quem olha de fora o melhor do mundo, e já cheguei a ouvir que eu estou no cargo mais privilegiado, talvez sim, mas não hoje, não no momento que a vida chegou, neste meio tempo eu tive mais uma e talvez a pior briga de todas com a minha mãe e em uma fuga desesperada eu sai de casa dizendo nunca mais voltar (ela não foi me procurar e eu tive que manter minha palavra), namorado apaixonado decidiu que ficaria ao me lado para sempre, alugamos uma casinha, compramos tudo num crediário nas Casas Bahia, comemos muita comida ruim e revezamos o nuggtes e a batata frita congelada por muitos anos, parte deste emprego eu também estive em uma faculdade, marido cuidava de tudo em casa e ainda cuidava de mim por muitas vezes histérica, e este ciclo foi longo e cansativo, até que veio a minha pequena Isabela, ultimo ano de faculdade "o que fazer ?", sou comprometida demais para abandonar, afinal de contas a faculdade não era só para mim, era para o crescimento da nossa família, quantas e quantas vezes cheguei por volta das 11 da noite e ainda ia para o pronto socorro pq a pequena estava com cólica ou dente nascendo ou uma febre qualquer que enlouquece pai e mãe de primeira viagem e como tínhamos apenas 1 carro esta era a nossa realidade, chorava ela e chorava eu.   

O tempo passou, eu me formei, chorei, senti orgulho de mim, marido chorou, sentiu orgulho de mim, afinal de contas era uma vitória nossa, minha pequena com 1 aninho já e muitos momentos que nunca mais voltaram e que eu nunca mais vou ter (como os primeiros passinhos que eu não vi).... então é isso o tempo passou, você entende, o tempo passou, meus pais estavam na formatura a esta altura eu já tinha feito de tudo para recomeçar uma vida e esta nova vida não seria completa sem meus pais. Mas a vida é cheia de linhas tortas e veio a menopausa da minha mãe e junto com ela a depressão, eu me desdobrei, me mostrei forte, acompanhei ao médico, peguei no pé pq remédio tem que ser tomado sempre e não só quando dá as crises, fugi do serviço sem olhar para o lado todas as vezes que ela estava tendo algum "ataque histérico", mimei com coisas materiais e guloseimas, tentei facilitar o fardo e me mostrei aquele bebê forte que ela sempre disse que sou .... dentre as muitas frases "absurdas" uma é "eu sempre fui fraca, desde sempre, você não você é uma menina forte, me desculpe não ter sido a mãe que você merecia, mas eu nunca prestei para nada mesmo".Eu sempre, sempre, sempre com palavras do tipo "imagina você sempre deu o seu melhor", mas existem tantas pedrinhas ao longo do caminho, que alguma hora por mais que você preste atenção, uma hora você tropeça, e o nosso tropeço veio no dia que eu descobri que estava gravida do meu garotão, fazem apenas 4 meses que dei a noticia e nosso telhado de vidro foi atingido por alguma daquelas tantas pedras deixadas no caminho, ela diz que ficou em choque (e deve estar até hoje pq NADA mudou), não recebi um abraço, o único comentário que talvez ela nem se lembre mais foi "se você realmente estiver gravida, coisa que eu não acho, você esta esperando um menino, e vai se um menino feio" o assunto "baby" incomoda ela e eu percebo isso, ela tenta não participar, como ela mesma disse em uma das tantas ligações "ela não tem amor para dar a este baby, tivemos mais uma das tantas brigas, ela como sempre uma vitima, uma pessoa fraca e eu mais uma vez gritando enlouquecida pela simples falta de um apoio materno neste momento.

Vieram as férias, Ilhabela é perfeita, aluguei uma pousada para meus pais, (irmão, cunhada e sobrinhos também estavam conosco) pousada pq no flat que ficamos a reserva mínima era de 7 dias e eles foram passar apenas o final de semana, descemos em carros separados no sábado, eu demorei muito mais para chegar (sem presa talvez afinal de contas teríamos lá 7 dias), soube que meus pais estavam descansando (respeitei), a noite eu soube que minha mãe estava em mais um ataque histérico de que odeio ela, de que eu não queria que eles tivessem ido e nada tirava isso da cabeça dela, voltei para o flat (com marido a pequena e meu irmãozinho) e me senti perdida, tendo mais uma vez que ser forte pq as crianças não tem nada com isso, acordamos, eu respirei fundo, era aniversário do marido, ligamos para o meu pai que disse já estar atravessando a balsa para voltar para SP pq minha mãe não estava bem (liguei no rádio, estava no viva voz, e eu falei muito do que estava entalado na minha garganta, não adiantou, mais uma vez voltei para o flat, desta vez eu chorei horrores e mais uma vez eu tinha que ser forte, as crianças já tinham presenciado muito mais do que mereciam, conversei com eles e disse que se eu estragasse o passeio deles e o niver do marido eu estaria sendo igual a ela, irmão cunhada e sobrinhos chegaram e fomos passear de lancha, foram dias lindos, com o coração inquieto eu confesso mas de certo modo feliz.

A volta a realidade/ rotina é um pouco mais complicada pq existe o reencontro, e depois já vem o Natal e por mais que eu sempre sonhei com um Natal destes com toalha vermelha, presentes em baixo da arvore, o amor estampado nos rostos, eu nunca tive, eu sempre senti que forcei um pouco as comemorações "tem que ter, vamos fazer, e se a gente comprar tal coisa", este ano deixei para sentir se seria convidada e não fui, ficamos em casa, confesso que foi triste, para mim, pq o Filipe nunca teve mas tb não liga e a Isabela estava dormindo a algum tempo já.

E eu ainda nem estava recuperada quando chegou o ano novo e se eu acreditasse em superstição eu diria que vou passar 2014 chorando, na hora exata dos fogos, da janela do quarto dava para ver a cidade em festa, marido abraçado a mim e eu sentindo uma tristeza sem fim, a Isabela seguindo a rotina já dormia a muito tempo, o ano virou e eu decidi que era a hora de mudar TUDO o que me incomodava, eu confesso não esta sendo fácil, parte das minhas decisões já estão em pratica, eu continuo chorando dias e noites, mas eu estou confiante de que logo eu alcanço meus objetivos, a vida não é fácil e eu sei disso acho que desde sempre, a pergunta que eu me faço constantemente é pq e como chegou neste ponto .... mas eu sou forte, lembra ? Deus esta comigo e acho que este é aquele momento na canção em que só existe 1 pegada na areia.

13 comentários:

Priscila Casimiro disse...

Oi, Si.
Fiquei triste com a sua história, mas tenho certeza que é só uma fase.
Não deixa que esta nuvem preta tome conta da sua vida... respire fundo e lembre do sorriso da Isa e tenho certeza que tudo vai passar.
Quanto a sua gravidez, fica tranqüila e curta muito ela... não deixe que nada te abale, pq cada momento é único e o tempo não volta atrás.
Já a sua mãe, é uma situação difícil que vc contou, mas o tempo é o melhor remédio... deixe as coisas como estão que tenho certeza que irão se acertar...
Sabe... também tenho problemas com a minha mãe e tb não entendo o que acontece, não sei o motivo nem nada... também choro, fico triste, mas já estou me acostumando com o jeito que ela tem comigo e tenta ignorar cada coisa q faz e vou levando a minha vida.
Sempre vi a suas fotos e vc transmite uma alegria e uma felicidade imensa... então, não deixa que isso abale a sua vida e a felicidade da sua família... curta, curta muito cada momento.
Ah... sempre que precisar pode contar com a sua amiga blogueira aqui... srsrs

Li uma frase esses dias que era mais ou menos assim: você pode colorir os seus dias da cor que vc quiser!!!

Bjs, Pri
HTTP://maesemfrescura.blogspot.com

Dani Rabelo disse...

Si, que coisa.... nossa, que difícil....

Nem imagino uma situação dessas, mas já te digo de antemão: sua mãe tem depressão, é uma doença e tem que ser tratada. Ok??? De resto, viva a sua vida, curta o seu bebê, curta o seu marido, sua filha linda, tudo de melhor que vc tem para brindar.

Sua mãe viveu uma vida inteiro da forma que entendeu ser melhor e o faz ainda hoje. Ela está certa. Faça vc o mesmo! Viva o que vc quiser, como vc quiser, com a sua família, o seu núcleo, os que te fortalecem.

Um beijo enorme!!!!

*Lela* disse...

Olha,

Não sei sevc conta parte de sua História ou da minha. Minha Mãe ainda é viva e hoje tenho um casal de adolescentes que ela não vê...Dífícil,né? Ela sofreu muito na Infancia, foi criada sem Mãe e com Madrasta numa época em que o nome já dizia a tudo. Sofri muito infancia e adolescencia, decobri a liberdade que Jesus dá acada ser humano, seu amor...Aceitei o amor Dele e depois, aceitei miha Mãe e minha família...Creia que sua vida é boa, valorize cada pingo de chuva; Seja feliz!

♥ Nanda ♥ disse...

amiga que relato
me emocionei com sua luta
e melhor em te ler que nunca desistiu, realmente esse é um momento em que Deus esta te carregando no colo sim amiga
como a pegada na areia
Deus te fortaleça
bom dia
Nanda
beijokas
Sendo a mãe da Isa e da Gabi
Google+Nanda

Kaah Maia disse...

Eu vou orar para que Deus coloque paz na sua familia...

Consigo te entender minha mãe também tem depressão e as crises dela são bem complicadas, começamos a nos reunir e fazer orações todos os dias, melhorou muito, te aconselho a fazer o mesmo, só Deus pode colocar paz, mesmo assim vou orar por vocês...

Beijos amiga, muita força, vai dar tudo certo ....

Rafaella disse...

É uma situação muito complicada, mas quando guardamos ela, nos sentimos sufocadas demais...
Olha, tente não ligar, tipo tudo que ela falar, entra por um ouvido e sai pelo outro...
Meus pais tem problemas sérios também, e quando eu vi que não poderia resolver e o quanto isso me deixava infeliz, eu me afastei, porque eu chorava e não podia resolver nada sabe.
Faça com que sua mãe frequente um psicólogo frequentemente, que isso pode ajudar muito, fato que a depressão é uma doença complicada e requer muita paciência.
E fique orgulhosa de tudo que já conseguiu, você merece ser feliz, tem uma família linda e luta por ela a cada dia.
Força querida, quando achar que não esta mais aguentando converse com Deus pois isso dá um alivio que você nem imagina!
Bjs

Renata disse...

Poxa amiga que situação chata!
Mas olha pra tudo deus tem um propósito :)

Curta muita essa nova gravidez, esse bebe que vem por ai para completar ainda mais essa família linda <3


Luigia Macena disse...

Q triste né amiga! Todas temos uma luta em alguma área da vida, e que por sermos julgadas como fortes muitos acham que não podemos desabafar.
Mas se não fizermos isso explodimos, olhando de fora toda essa experiência serve de aprendizado para que vc seja uma mãe melhor, e tenho certeza que é. Dedique esse amor guardado aos seus filhos e marido no próximo natal faça uma mesa com a toalha vermelha na sua casa com eles, eles vão retribuir todo esse amor, tenho certeza!
E cuida bem desse guri aí na barriga, nada de tristeza que passa pro bebê. e nos conta tudinho sobre essa nova gestação, queremos nos alegrar com você e torcemos muito pela sua felicidade!

Mil bjus!

Bárbara Gonzaga *--* disse...

Muito triste flor, más continue a sua luta, logo logo essa fase ruim vai passar e tudo ficaraá bem!

Beijinhos :*
http://meu-pequeno-guilherme.blogspot.com

Jack disse...

Nosssaa qurida li tudo o q escreveu e fiquei mto triste... vc gravida tendo que passar por td isso sei que é dificil mas tem hora q a gente precisa seguir o caminho sozinha né... minha mae tbm é complicado... ela mina demais minha irma enqto eu só presto pra fazer as coisas q ela quer.. pois pq cansar minha irma... tem horas q brigo... tem horas q deixo passar.. as vezes ela demostra mais.. outras nem tanto.. meu pai me diz que é pq sempre fui mto apegada a ele.. q sempre fui prefeirida dele... ñ sei se diz pq é verdade ou pra me fazer sentir melhor..
mas a gente vai levando da melhor forma né...
Você é forte.. sim mas as vezes precisamos de colo né... sua familia é abençoada nunca esqueça disto...
bjuss linda e o q precisar estou aqui :)

Martha disse...

Viu como eu tinha razão.. bom ter razão!! (não me xinga, viu!?)

Colocar para fora e sentir o 'abraço' de quem gosta da gente é um bom remedio para nossas dores do coração!!!

De tudo que a gente vive, EU tento tirar sempre o que sobra de bom... Da sua historia o que sobra de bom é a companhia inquestionável de Filipe e a formação de SUA família... Uma sobre que dá gás, dá suporte, dá conforto ao coração...

Mesmo as coisas ruins, as que magoam, nos ajudam a crescer e amadurecer... ajudam a não repetir erros, ou repetir mexendo no que foi errado da outra vez... e sempre temos essa oportunidade!!!

Conta sempre, sempre comigo (e Cia Ltda)...
Tamu junto, mermão!!!

Amo vcs!!!

Myllena Alves Soldaine disse...

Acabei de conhecer seu blog, estou no grupo GestantesEmpoderadas e vi o link por lá, resolvi vir conhecer e me deparo com um relato de vida (que ainda terá muitas páginas e essas páginas irão ficar lindas).
É difícil comentar algo no qual não estamos na história, mas senti tudo lendo o que escrevestes e sei que sua dor é muito intensa. Mas você hoje tem muitos motivos para mudar essas novas páginas, sua filha e agora seu filho, poderá mostrar para si mesma que você é diferente e saberá dar o valor e amor ao seus filhos.
Amei ver que você cuida da sua mãe e que apesar das coisas feias que ela te fala e já falou você esta ali como uma verdadeira filha, não importando se ela não foi e nem esta sendo uma boa mãe, mas você esta fazendo sua parte.
Espero que um dia essa sua dor amenize, porque passar acho que jamais passará (a minha com meu pai não passa).
Beijos.
http://myrealizandosonhos.blogspot.com.br/

Monica Veridiane disse...

Que vontade de te dar um abraço...