Páginas

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

A mãe que eu quero ser

Bom dia princesa!

A mamãe tem passado dias e dias pensando (alias depois que nos tornamos mãe é o que mais fazemos), e a pergunta que vem martelando na minha mente é .... quando será que as crianças sempre tão apaixonantes, graciosas etc etc etc, se tornam crianças sem respeito, crianças maldosas, etc etc etc .... sabe eu sei que nem tudo são flores e que a maternidade é incrivelmente difícil são varias fases e adaptações e arisco a dizer que somos uma porção de adultos confusos educando os próximos adultos, ok ! mas quando deixamos de educar ? quando deixamos de dar atenção aos pequeninos ? etc etc etc ....

Vamos lá ao que me motivou a tantos pensamentos....

1º situação - Estávamos no Burger King e primeiro chega uma "família" onde tinha uma "mãe" muito bem vestida ao celular, uma "babá" que estava a olhar um bebê (de pele escura), 2 meninos por volta dos teus 12 anos (aparentemente filhos da mulher ao celular) e mais um menino tb por volta dos teus 12 anos (que aparentemente era irmão do bebê), não sei dizer se eram adotados, mas a cena que vi foi, do momento que chegaram ao momento que foram embora a mulher estava ao celular (do tipo snobe), os 2 meninos que aparentemente eram filhos dela estavam destruindo os brinquedos destinados as "crianças", enquanto o outro garoto de 12 anos estava sentado no chão somente observando, até que em um momento qualquer ele vai até a mulher que continuava ao celular e pediu para brincar no "brinquedão que tinha escorregador" e ela falou NÃO, e ele voltou a sentar e observar os outros 2 meninos que chegarão ao ponto de subir em cima da tela que cobria a piscina de bolinha, e então quando com a mão ela acenou para irem embora o garoto que não brincou em nada foi recolher o copo de refri quando o outro veio atropelando ele arrancou o copo da mão dele e quando se deu conta de que estava vazio largou novamente.

2º situação - Estávamos aguardando para ser atendidas pelo seu pediatra em um espaço para crianças com bastante brinquedos, casinha, bancos etc .... e estavam os pais administrando de "longe" seus pimpolhos quando surge uma garota por volta dos teus 7 anos com o pai que estava a olhar o irmãozinho menor e a avó que só descobri que estava com eles muito depois quando o menorzinho a chamou de vó, a menina estava atormentando os meninos com brincadeiras de péssimo gosto (é engraçado como os meninos desde pequenos da sua grande maioria são mais calmos rsrsrsrs), ela não tinha o menor senso e saia "empurrando" os menores, corria pegar brinquedos primeiro, impedia eles de passarem ficava jogando para cima o cavalo do cabo de vassoura e pasmem tanto a avó como o pai fazendo cara de paisagem enquanto os restantes dos pais estavam ali tentando administrar a situação, detalhe depois ela se juntou com outra de mais ou menos a mesma idade e ai se instalou o caus (detalhe a mãe desta outra menina nem lá no espaço estava e sim sentada na recepção do consultório "bela e formosa" papiando com outras mulheres).

3º - situação - Hoje após te deixar na casa da vovó, passando pela escolinha (que você já esta matriculada) tinha uma porção de mães e filhos esperando uma perua escolar, quando esta chega as crianças entram e as mães continuam papiando e os filhos acenando da janela "para ninguém" pq de certo as mães nem se deram conta de que eles já tinham ido.

4º situação - A Júlia grande amiguinha nossa esta agora com 11 anos e a tia Kelly mãe dela recebeu a noticia do médico que ela terá que usar aqueles aparelhos auditivos para tentar fazer ela ouvir de um dos ouvidos que esta comprometido, o problema é que ela não quer usar, ela disse que as crianças já maltratam ela pq dizem que ela é gordinha.

Tudo isso me incomoda um bocado, e eu arrisco a dizer que só não pirei totalmente desacreditando das pessoas depois que entrei aqui neste mundo onde assim como eu tem mais uma porção de mamães que buscam o melhor para seus pimpolhos e me faz muito bem saber que não estou sozinha !!!!

Filhota eu amo você cada minuto do meu dia !!!!!

16 comentários:

Mirian Vieira disse...

Ninguém pode criar um filho perfeito! Mas, estar atento a situações como estas é muito importante ... Afinal, se eu coloquei filho no mundo eu é que tenho que orientar. Fingir que não estou enxergando o meu filho incomodar outras pessoas,na verdade só mostro de onde vem essa má educação ...

bj bj

Mirian

www.brotinhosdamamae.blogspot.com

Cristiane disse...

Oi amiga !!!! Como vc está, anciosa em acabar as aulas, novembro chegou!!! Olha eu tam´bem fico muito chateada com a posso dizer falta de atenção que os pais dão aos seus filhos. Porque pais que se preocupam não deixam seus filhos largados ou incomodando os outros. Muitas vezes as mães só querem estar bonitas e de olho nos seus interesses e os pais sossego porque estão cansados. Resultado: Filhos querendo chamar a atenção ou sem limetes. Uma vez pais devemos estar atentos a educação de nossos filhos para serem pais e pessoas ótimas no futuro. Tudo isso relatado por vc me IRRITA. Que bom que pensamos assim!!! Cris

Renata disse...

Oi flor tudo bem com você e o TCC firme e forte haha eu ja passei pela pré-banca e agora é so aguardar a Banca, já estou mais aliviada :)

Nossa pois é depois que nos tornamos mães o que mais fazemos é pensar, pensar no que é melhor, o que é errado, o que está certo e qual caminho devemos seguir. O que mais desejamos é acertar.


Beijão

Futura mãmã disse...

Oi mamae...
Realmente a montes de situações que nos fazem pensar e repensar e ver se tamos maes de forma mais certa ou mais errada ne !
E verdade ninguem e perfeitos , nenhuns pais nem filhos e por vezes por muita educacação que se tente passar eles sao terriveizinhos rsrsrs
mas a coisas que podiam ser de facto indespensaveis, como um pai nem ver que a criança abalou =/, tratar os filhos (irmaos) de forma tao diferente etc etc...
Agora voce e mae... e seja voce sempre como sempre foi... apesar de haver coisas que de facto nos fazem confusaooo !

Juliana disse...

Sabe, flor, eu também fico indignada exatamente assim como você! Às vezes, sinto como se estivesse no planeta errado, no tempo errado e no mundo errado.
O errado não é mães trabalharem fora. Não mesmo! Trabalhar fora é normal e essencial em nossa sociedade. O ERRADÍSSIMO é mães não dedicarem um segundo do seu tempo aos seus filhos. Jogarem eles na mão de uma babá e pronto, resolvido o problema!!
Preferem falar ao celular, escrever em blogs, ir ao salão, conversar com as amigas, sair pra jantar com o marido, e o filho que se dane! Se está com uma babá bem paga, está bem!
Até nesse mundo virtual, tem blogueira super famosa e "querida" que joga os filhos na mão de babá e pronto. Se faz de grande mãe vitualmente. Mas, nas sublinhas de seus textos, sempre é possível notar seu pouco contato com as crianças!
Fico triste e revoltada pensando em que adultos essas crianças vão se transformar!
Você está certíssima, amiga!!! Penso como você!
Bjos!
Juliana Almeida
www.blogdabebel.com.br

vanice disse...

Amiga,saudades de vc hein!!
A vida não é fácil não.
bjos

Re disse...

Pra mim eh comprovado que os filhso sao o reflexo dos pais..pais que nao dao atençao, nao educam, nao dao carinho criam filhos mal-educados, sem valores e principios. Educar nao eh facil, cansa muito...eh muitoi mais facil dizer um sim do que mil naos repetidamente, mas basta um unico sim para por por terra todo o esforço de antes. Também nao sei que mae serei, mas sei que mae quero ser e eh por ela que eu vou lutar. Bjs

Carina Ferreira disse...

Pois é amiga isso tudo é de nos deixar chateadas. Peço a Deus sabedoraia pra educar Malu. Pra mim essas crianças também podem ser consideradas "abandonadas" pelos pais. Não quero achar "normal" minha filha debochar do amiquinho(a). Não quero me omitir quando ela fizer algo errado... Sei que birras, fase do egoísmo, tudo isso vai acontecer, mas quero está ali presente para orientar.
Bjs e um ótimo final de semana

MÃE DO GUI disse...

É amiga, que loucura viu? Não sei que educação estão dando para os futuros amiguinhos dos nossos filhos!!!

Bjo Jana

Diário da mãe e da filha disse...

É amiga, eu sempre pedi a Deus sabedoria para cuidar da Ingrid, ainda mais agora ela com essa idade, 12 anos, sabe como é né?

Ai ai amiga, essas situações que você citou realmente me deixa chateada
Sobre essa do pediatra, eu fico imaginando... O que essas mães tem na cabeça, para que elas quiseram ter filho?

É amiga, o que só não "desanima" é ver que tem outras mãe legais assim como você e que buscam o melhor para seus filhos

Beijos

Paloma Gavazza disse...

Ai meu deus, tem horas que é difícil administrar as situações com os pequenos, mas tb não entendo essas pessoas que fingem que nada está acontecendo e não ensinam seus filhos... acho que é a questão da comodidade, eles devem pensar que educar dá muito trabalho... e dá mesmo, mas quem faz com amor, sabe que cada minuto vale a pena! Sorte dos nossos filhotes não é? bjs!

sheR disse...

Olha realmente, acontece que antes, no meu tempo se eu tirava uma nota vermelha, a culpa era minha e no mes seguinte eu estudava o maximo pra recuperar minha nota.
Hoje em dia se os filhos tiram nota vermelha os pais vão reclamar com os professores, pois eles q não estão sabendo ensinar.
não hhá mais LIMITES pras crianças de hoje em dia! espero criar meu filho com limites e cmo valores!
Adorei seu blog!
estou seguindo

disse...

É certas situações são meio revoltantes mesmo... mães que não estão nem aí em que adultos seus filhos irão se tornar. Só nos basta cuidar e entregar essa geração a Deus para que ELE dê direção.
bjs e bom fim de semana!

Mamãezinha disse...

Pois é, amiga. Estas cenas são mais comuns do que deveriam. Eu não sei se é inabilidade ou negligência dos pais. O fato é que acontece demais e indigna mesmo. Semana passada, no clube, uma criança pegou o baldinho da Laura e levou para o parquinho. O pai da criança viu tudo e se fez de cego. Eu é quem disse: filha, vai até o parquinho e pede a criança o seu brinquedo de volta. Pode? Terrível, né. Beijão às duas!

Magali, mamãe da Sayuri disse...

Oi amiga tdo bem? andei sumida mesmo^._. tenho dedicado maior parte do meu tempo a minha baby que está bem danadinha descobrindo o mundo e não quer ficar parada um segundo, mas a verdade é que me divirto e aprendo junto com ela! *-* E vc como está? e o TCC? agora falta pouco, ne?!
Sobre seu post estava comentando o mesmo com minha mãe ontem a verdade é que muitos tem filhos mas poucos realmente são Mães e Pais, muitos estão preocupados com suas próprias vidas e se esquecem do mais importante que são os filhos /o\ é horrivel perceber isso e fico pensando que adultos essas crianças vão se tornar =/ o que tbm me da esperanças e ver mães de verdade como vc e muitas que vejo nesse mundo da mohersfera *-*
Bjos ^^ bom domingo para vocês!

Funny Paper disse...

Querida, saudades de visitar esse seu canto e, chego por aqui e dou de cara com essa sua exclamação, do tipo, o que acontece?!

Me vejo na obrigação de dar meu depoimento, porque já passei por várias fases do crescimento de minha filha, hoje com 16 anos... e, o que vou escrever, melhor não ler quem não quiser se decepcionar...

Hoje, não reconheço minha filha em relação a vários aspectos de sua personalidade; ela é egoísta, só pensa no seu próprio umbigo, chega a ser mesmo muito interesseira; odeia ser frustrada e tem pitis quando isso acontece, quer toda a liberdade do mundo, quando ainda depende totalmente dos pais... só posso dizer que tenho me decepcionado muito com seus comportamentos,até porque eu e meu marido sempre fomos pais super accessíveis, sempre buscando o diálogo e só tomamos na cabeça!!

Desculpe o desabafo, mas, por mais que tenhamos cometido erros, porque não somos infalíveis, ficamos de queixo caído com certos comportamentos dela e, quer saber, é muito duro, mas muito mesmo, porque por mais que façamos em todos os sentidos, fazer não é = a dar coisas, mas carinho, proteção, nada a satisfaz; é triste, mas real... então, eu aconselho aos pais, por experiência própria a dizer não quando sabem que estão com a razão, a dar carinho, mas endurecer quando for preciso, e, não titubear, porque eles manipulam mesmo, sem dó nem piedade!

E, aqueles pequenos fofos, só ficam na nossa memória... apesar de tudo, continuamos os amando e nos preocupando com a felicidade deles... essa é a minha experiência, só não sei dizer quando essa mudança tão brusca aconteceu...

Bjs

Sil