Páginas

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Contando sobre a MAMÃE

Princesa bom dia!


Já faz algum tempo que eu vem pensando em escrever um pouquinho sobre quem é a mamãe (as mães nem sempre são estas pessoas que só gritam e falam não para quase tudo), mas dai sempre ia passando e passando mas hoje visitando os cantinhos das mamães/ amigas tinha um post da Mari (isso ela dinovu do diário de uma mamãe polvo, rs) e ela contava um pouco sobre a filhota dela (linda) que esta com 11 anos e dai me perdi um pouco no tempo lembrando de mim e me vi na obrigação de não mais adiar esta cartinha, então se segura pq o assunto vai longe ...


Então eu não sei muito por onde começar, mas vou tentando registrar tudo que acredito ser importante e depois vamos ver como fica, rsrsrsrs.


A mamãe nasceu no dia 08/02/83, (eu amo fazer aniversário), sou do signo de aquário e apesar de não saber ao certo o que isso significa, já conheci algumas pessoas do mesmo signo que tem quase todos os mesmos defeitos e qualidades que eu.


Meus pais são "casados" até hoje, (num talvez próximo post eu conto sobre a vida familiar), tenho 1 irmão 3 anos mais velho (tio Sid) e depois muito tempo depois veio "a rapa do tacho" o tio Jorginho (hoje com 9 anos).

Não vou citar onde a mamãe nasceu pois a internet é algo perigoso, então basta dizer que com 8 para 9 anos fomos morar em Piracicaba, (vovô estava muito doente e fomo s para lá para ele se tratar), me lembro de ter chorado horrores com a mudança e ter que perder meus amigos e em especial "a minha melhor amiga da época" é engraçado e talvez você ainda não saiba disso mas ao longo da vida vamos tendo uma porção de "melhores amigas", outra coisa que me deixava ainda pior com a mudança era o fato de ter minha família toda aqui e por mais que mentiram de monte para mim dizendo que todo o final de semana teria alguém lá nos visitando nada minimizava a minha dor, (hoje eu penso como a vida dos pais é difícil né, ter a doença do meu pai e ainda ter que controlar 2 crianças totalmente contrariadas com a mudança), me lembro de ter tido uma dificuldade imensa na escola em especial em matemática pois aqui eu estava aprendendo divisão com 1 numero na chave e na nova escola já estavam aprendendo com 2 números na chave, (confesso que a calculadora para mim é uma amigona).


Apesar de ainda hoje não gostar de "mudanças" eu vejo que foi maravilhoso ter crescido em uma cidade tão linda e com pessoas tão diferente eu sinto que cresci como se fossemos todos uma grande família. E claro que como toda criança do interior eu fui totalmente moleca, eu subia em arvores para apanhar manga e seriguela (fruta que desde que voltamos para SP nunca mais tive o prazer de comer), devo ter comido uma porção de goiaba com bicho "ieca", andei muito de bicicleta, mas como toda filha mais nova a bicicleta era do meu irmão, e me lembro de ter o sonho de ter uma bicicleta destas Caloi Ceci (será que quando você tiver acesso a estas cartinhas ainda terá a imagem no google? rsrsrs), troquei muito papel de carta no ônibus da escola, participei de todos os eventos escolares desde o primeiro ano na escola (eu tinha 4 anos e entrei no pré, naquela época entravamos no pré com 4 anos, fazíamos 3 anos de prézinho e aos 7 entravamos na escola ou seja 1º série), por falar em 1 ano no pré, são poucas as coisas que me lembro da infância, (sei pai acho que só não lembra da época do útero pq o resto, rsrsrs), me lembro que meu pai (vovô) comprou todo o meu material (lista imensa na época, me lembro da minha mãe (vovó) falando "para que tanto papel", me lembro do vovô encadernar tudo com um papel mole todo quadriculado (feio, mas regras da escola), e depois colocava uma etiqueta e com a caligrafia mais linda que eu já vi em toda a minha vida escrevia meu nome, numero e a sala, alias me lembro dele riscar com estilete a ponta dos lápis de cor e colocar nome lá também (meu pai em alguns assuntos se parece bastante com o pai do Crhis da série, todo mundo odeia o Crhis), me lembro que no primeiro dia de aula, minha mãe colocou uma camiseta branca e um shorts vermelho destes que prende na cocha, me colocou uma meia branca que tinha 2 bolinhas penduradas, o tênis era “conga” vermelho e no cabelo 2 maria chiquinha, me lembro de chorar dizendo que queria ir para a escola e quando chegava na porta eu chorava para voltar para casa, foram assim os 3 primeiros dias até que no 3º a minha mãe me levou para casa e me deu uma boa surra (eu sou do tempo em que as mães é que batia nos filhos e não o contrario), depois deste episódio eu passei a amar a escola (até chegar a facul pq atualmente ando com coceira só de pensar). Me lembro de ajudar o meu irmão a construir os pipas e eu sempre ficava com a parte de fazer a rabiola, me lembro de brincar de taco, carrinho de rolemã, de ganhar moedas para comer alguma comida que eu não gostava e corria jogar fliperama (até o dia que minha mãe descobriu), me lembro de um dia perguntar para minha mãe se eu podia namorar e ela sabiamente me respondeu “você quer casar agora” ? E eu respondi que não e daí ela perguntou “você quer ter filhos agora” ? E eu também respondi que não e ela me perguntou, “então para que você quer namorar” ? E depois de toda esta psicologia materna eu mesma vi que não queria namorar, mas isso não me impedia de escrever bilhetinhos com a pergunta “quer namorar comigo” ? E os quadradinhos em baixo para o garoto assinalar sim ou não, o grande detalhe era, eu e minhas amigas escrevíamos o mesmo bilhete para o mesmo garoto, me lembro de brincar de policia e ladrão com mamona, de buscar cana no canavial (até o dia que meu pai descobriu), me lembro de querer ser a Valéria do carrosel e de ser a power ranger amarela, me lembro que eu tomava muito “Emulsão Scott” e quase vomitava toda vez, me lembro de passar muito mais tempo organizando como seria a brincadeira do que propriamente brincando, me lembro de esperar ansiosa pelo “criança esperança”, eu era fã de Sandy e Júnior, e acho que de lembranças da infância já esta bom né, bom só para não ficar sem resposta o assunto sobre o tal primeiro beijo, ele aconteceu depois que quase todas as minhas amigas já tinham beijado, .... eu tive amor platônico por um professor, (a ultima noticia que tive, dizia as más linguás que ele estava namorando um cara), .... como todas as meninas da época eu tive um “primeiro amor” destes inocentes que você acha que vai perder o ar se ele te largar, tive uma linda festa de 15 anos, que meus pais se desdobraram para satisfazer cada capricho, .... sofri Bullying quando criança, já foi mordida por um cachorro (nosso), já capotei de bicicleta com uma amiga no cano (ela quebrou o pé e eu o braço), ah lembrando que nesta época eu tinha ganhado uma bicicleta (linda) do jeitinho que eu queria (mas eu já era bem grandinha para a Ceci), 2 meses depois ela foi roubada de dentro do nosso quintal (meu pai nem tinha terminado de pagar as parcelas).


Próximo de fazer 16 anos voltamos a morar em SP, e eis que mais uma vez perdi todos os meus amigos (na época não tinha redes sociais que nos conectava com o mundo), por algum tempo ainda mantivemos o contato mas a distancia é mesmo muito complicada, então voltamos a morar na mesma cidade e na mesma casa e continuava a ser nossa mesmo quando morávamos em Piracicaba, e somado a “mudança”, a “aborrecencia”, que veio sem dó, eu comecei a namorar um cara que me fez sofrer horrores e eu no auge da minha arrogância fiquei contra meus pais e toda a minha família, levei este relacionamento destrutivo por 5 anos, consegui me alto destruir no sentido que mais me doía que era a falta da minha família, mas como eu mesmo sem frequentar propriamente uma “igreja” eu sempre tive um apego muito grande com Deus e eu sempre pedi a Ele que me desse um marido que me beijasse quando chegasse do serviço e que eu não queria um marido igual ao meu pai e muito menos igual aos meus tios, e que se não era para ser “ele” o meu marido que tirasse de mim, SIM DEUS TIROU, sofri um bucado, chorei, pensei que iria morrer de tanto amor, minha mãe já não suportando me ver chorar me mandou uns tempos para Piracicaba na casa de algumas amigas de infância, e por lá eu passei algumas temporadas, e então eu voltei e decidi que eu teria que retomar a minha vida, meus pais e minha família me deram uma segunda chance e eu me endireitei dentro de uma determinada igreja, comecei a trabalhar no mesmo emprego que o seu pai (foi ai que eu o conheci mas até então eramos somente bons amigos .... ta certo que eu me apaixonei no instante em que eu olhei para ele) e depois disso tantas coisas foram acontecendo e me decepcionando com o “mundo”, minha família se auto destruindo com a chegada de uma prima (Ste filha da tia Dirce) que talvez estivesse tão perdida quanto todos nós e assim foram dias e dias a fio de brigas e mais brigas, eu brigava com ela, a minha mãe brigava comigo pq eu não podia brigar com ela, meu pai brigava com minha mãe, enfim um verdadeiro caus, o meu refugio era a igreja, mas quem frequenta diariamente uma mesma igreja começa a enxergar certas coisas e eu sendo uma pessoa infinitamente critica não aceitava, eu sai da igreja para não estar lá dentro e ficar falando mal, mas era tanta sujeira, e eu ali desejando tanto melhorar como pessoa, e vendo que na verdade as pessoas não estavam ali para servir a Deus e nem muito menos para amar o próximo como a ti mesmo. Nesta mesma época eu sai do emprego (foi o pior lugar que já trabalhei na vida, ta certo que não tive tantos empregos assim masss). Então eu já não suportando mais fiz a imensa besteira de tomar uma porção de remédios, foi chamada a policia, eu sai para a rua e só aceitei ajuda quando já estava a ponto de desmaiar, fui levada até o pronto socorro me fizeram uma lavagem estomacal e o médico que me atendeu conversou muito comigo, mas mais do que isso Deus é tão maravilhoso que não deu ouvido a estas besteiras pois o plano Dele era muito maior na minha vida, meu pai foi me buscar no pronto socorro, e no caminho para casa um amigo me ligou e disse que onde ele trabalhava estavam precisando de uma menina, eu decidida que então eu precisava mudar, fui, e pronto o emprego era meu.


Comecei a trabalhar isso era 2004 (no mesmo emprego que estou até hoje, atualmente sou Assistente de Diretoria), continuei sendo “amiga colorida do seu pai”, mas as brigas constantes em casa continuaram (nesta época eu ainda frequentava a igreja), fui transferida de unidade e foi mais um processo difícil de se adaptar uma vez que devido a tanta confusão na minha cabecinha, me agarrei a uma nova chance de ter amigos que ser transferida foi como se tivessem novamente me tirando algo (hoje vejo que foi melhor assim, profissionalmente falando), e mais uma vez tive uma mudança drástica na minha vida, um certo dia voltando do trabalho totalmente molhada da chuva, depois de pegar um onibus que demorou quase 2 horas para chegar no destino (morro a 10 minutos), quando chego vou diretamente para o banheiro tomar banho e tirar toda aquela roupa molhada, quando minha prima que morava conosco correu tomar banho na frente (ela estava em casa desde que chegou da escola perto da hora do almoço), fui reclamar e minha mãe ficou brava comigo e então começamos a discutir até que a situação foi se agravando e eu furei nunca mais colocar os pés naquela casa (nesta época a mamãe já namorava o papai), fiquei na casa dele o final de semana todo e nada da minha mãe me procurar e então eu descobri que eu teria mesmo que procurar um lugar para mim, seu pai direcionado por Deus decidiu que eu era a mulher da vida dele e que iria morar comigo, a procura por uma casa foi longa, mas apareceu uma linda casinha e tudo foi dando certo, nesta época eu ainda não falava com a minha mãe mas me tornei muito amiga do meu pai, quase 1 ano depois eu e minha mãe voltamos a nos falar, e uma semana depois era dia das mães e eu fiz um almoço e a convidei (não tinha certeza se ela viria, mas ela veio), tudo foi se encaixando e hoje eu posso dizer que tenho TUDO E MAIS UM POUCO !!!!


Filha esta cartinha ficou imensa e note que ela começou a ser escrita ainda era bom dia e agora já são 15:41, e eu preciso parar mesmo de escrever, pq já parei tantas vezes este texto que nem sei se ele esta com algum sentido.


Eu amo você filha!!! e sou eternamente grata a Deus por ter tido uma segunda chance !!!


12 comentários:

As minhas meninas disse...

Amei saber mais de vc hein

amo piracicaba,não mudo daqui por nada
rsss

só tem uma coisa que eu gostaria de saber ...seu nome;) só o primeiroo

beijos

Angi disse...

Amiga,
volto para ler, tô na correria hj!
Mas é sim, apareceu obrigada e já está participando, a tabela aparece só para mim!
Beijos e boa sorte!
Angi

Nuana disse...

Ufa, quanta história....mas foi bom relaxar depois de uma semana ausente///bjo bjooo

Funny Paper disse...

Oi miga, obrigada de novo pelas palavras tão bacanas no meu blog!

Li toda sua história, viu?! É assim mesmo em todas as famílias, como eu sempre digo, não existe família Doriana, que acordo rindo e vai se deitar rindo... mas, sempre tem as coisas boas, as melhores lembranças, e essas, ninguém tira da gente!!

Bjs

Sil

Diário da mãe e da filha disse...

Amei saber um pouquinho mais de você, e outra coisa, isso só faz eu ter mais certeza que te conheço, rsrs

Beijos

Carina Ferreira disse...

Nossa amiga li sua história num fôlego só rsrs Fui viajando aqui na sua infância, lembrando da minha papel de carta nossa eu tinha coleção rsrs E seriguela na região que meu pai mora tem muita, meu sobrinho ama.
Que bom Deus foi restaurando tudo na sua vida.
Que Ele continue abençoando sua família grandemente.
Bjs

Milena, A Mamãe da Isadora!! disse...

Ain amiga, vc contando da sua infancia, da Siriguela, da bicicleta Ceci, nossa mutias coisas em comuns,eu ia lendo e me lembrando das cenas q acontecia comigo em casa a cada linha q lia, nossa e o papel de carta? eu tinha muitas pastas, que delicia né? que tempo bom que não volta, hj é tão diferente ...queria q a Isa vivesse um pouco disso..mas como tudo muda...é bem dificil né?
Amei conhecer um pouquinho mais de vc e saber que principalmente tudo acabou bem, vc tem um ESPOSO e uma FILHA LINDA!!!

BjOOO


- Futura mãmã !
disse...

Ksksksk ja li sua historia...tanta coisa boa e ma que passou hein :) Infancia de criança e mesmo assim...montes de coisas e maluquisse ! =)
Mas a melhor fase de nossa vida, tirando a fase de gravidez (penso eu) kksksks =)

Beijo e sua filha um dia vai ler isto e AMAR *.*

Cristiane disse...

Miga , temos algo em comum já mudei de cidade 4 vezes, sei bem como é... Olha aprendi um coisa na minha igreja: Nós temos a limitação de ser humannos. Logo, seres que erram, merecem tentar e perdoar. Remoer só trás doenças e muitas zezes dor. Todos nós temos um plano traçado por Deus. Parabéns pela reviravolta. Ah!!! Como nosso tempo de infância era diferante né... Outras formas de brincar. Bjo, Cris

Laiz disse...

Que legal te conhecer melhor!!! Conhecemos um pouco da mãe mas quase nada do que vem antes dessa nossa fase! Quanta coisa! Você capotou de bicicletaaaaaaa???!!! Devia ser uma sapecaaa! Eu já fui atropelada de bicicletaaa (um dia depois de ganhar elaaaaa! sniff!) Bjinhossssssssssssssss

Paloma Gavazza disse...

Ah que legal!! eu tb tinha um ceci rsrsrs e tb assistia carrossel!! adoro essas histórias! Que bom que apesar de ter passado por momentos difíceisw, hoje vc pode dizer que é FELIZ! bjs! tudo de bom pra vc!

MÃE DO GUI disse...

Adorei saber mais dessa pessoa linda que vc é!!!

Linda a sua historia, mesmo q com algumas dificuldades e aborrecimentos deu tudo certo e hj vc tem essa pedra preciosa ai!!!

Te adoro Jana